Para Inspirar, Só Porque Sim

Como escolher o melhor colchão – guia em 6 passos

Não é novidade para ninguém que passamos um terço das nossas vidas a dormir. Tendo isto em mente, saber como escolher o melhor colchão torna-se essencial. A escolha do suporte ideal para as suas noites de sono representa um investimento na sua qualidade de vida – e nós vamos ajudá-lo.

Saiba como escolher o melhor colchão

Dormir é essencial à saúde física e mental. Como se trata de uma necessidade básica, dormir é uma atividade associada ao prazer, ao passo que a privação de sono causa sofrimento.

Saiba desde já que:

  • Um sono de fraca qualidade está associado ao aumento de peso;
  • As pessoas que dormem bem tendem a valorizar a nutrição, em vez de consumirem calorias vazias;
  • Um sono de qualidade melhora a concentração e torna-nos mais produtivos;
  • O sono reparador e de qualidade melhora a performance atlética;
  • As pessoas que dormem bem apresentam maior risco de doença cardíaca e de ter um acidente vascular cerebral (AVC), assim como maior risco de desenvolver diabetes de tipo 2;
  • A depressão e outros problemas de saúde mental estão associados a necessidades de sono não preenchidas;
  • O sono de pouca qualidade está associado a processos inflamatórios;
  • Finalmente, dormir pouco ou mal afeta negativamente a capacidade de reconhecer nos outros expressões emocionais de raiva e alegria, por exemplo, o que faz com que a interação social seja amplamente prejudicada.

Por tudo isto, vale a pena investir no conforto do seu quarto de dormir, começando pela escolha de um bom colchão. Como escolher o melhor colchão para as suas caraterísticas e necessidades?

O que deve ter em conta no momento de comprar um colchão

Se está a avaliar a possibilidade de investir num novo colchão, considere estes pontos:

1. A idade do seu colchão atual

2. O tipo de colchão que pretende

3. O seu orçamento

4. A firmeza desejada para o seu novo colchão

5. A posição em que costuma dormir

6. O seu peso corporal

Vamos analisar estes seis critérios um por um. Percorrer este guia em seis passos ajudá-lo-á a saber como escolher o melhor colchão para si.

1. A idade do seu colchão atual

Se o seu colchão atual tem oito anos ou mais, não será uma má ideia considerar a possibilidade de trocá-lo por um colchão novo. Esta é uma regra geral, que pode ou não aplicar-se ao seu caso em particular: há colchões que duram mais de 8 anos, outros que requerem substituição mais cedo.

Tudo depende da qualidade de sono que o seu colchão lhe está a proporcionar no momento presente. Algumas pistas: deve trocar de colchão se acorda com dores nas costas, se se sente cansado mesmo depois de uma noite de sono completa, ou se encontra muitas dificuldades para descobrir uma posição confortável para dormir.

2. O tipo de colchão que pretende

O tipo de colchão que vai adquirir dependerá sempre da sua preferência pessoal. Há vários tipos de colchões entre os quais pode escolher:

  • Colchões de espuma – os colchões de espuma têm como principais caraterísticas o bom suporte do peso corporal e o facto de se moldarem ligeiramente ao seu corpo. São ideais para pessoas que gostam de se deitar na sua cama e sentir que o colchão muda ligeiramente de forma, adaptando-se ao seu corpo.
  • Colchões de látex – os colchões de látex são ideais para pessoas que valorizam a frescura e ventilação do colchão e que não gostam de ter calor enquanto dormem. Os colchões de látex são menos flexíveis que os colchões de espuma, pelo que são mais adequados a quem quer flexibilidade mas não quer que o colchão se ajuste tanto à forma do corpo.
  • Colchões de molas – os colchões de molas têm, na sua composição (e tal como o nome indica) centenas de molas, geralmente feitas de aço. Na escolha de um colchão de molas, deverá saber que quanto mais molas o colchão tiver, mais confortável será para si. Geralmente, estes colchões são os preferidos das pessoas que gostam de dormir em colchões mais rígidos. Há mesmo quem advogue os benefícios de um colchão rígido para a saúde da lombar e da cervical.
  • Colchões híbridos – os colchões híbridos são os que possuem uma estrutura que combina os diferentes materiais anteriormente mencionados.
  • Colchões almofadados – há colchões que, sobre toda a superfície da estrutura principal, apresentam uma almofada fina. São ideais para quem quer conforto extra. Há mesmo colchões em que num dos lados a almofada é composta por tecidos mais frescos (o lado a ser usado no verão) e no outro lado a almofada é composta por tecidos e enchimento mais quentes (o lado a usar no inverno).
  • Colchões ajustáveis – os colchões ajustáveis são os que permitem modificar a posição de sono. São muitas vezes munidos de mecanismos elevatórios junto aos pés ou à cabeceira da cama, para maiores ergonomia e conforto. São geralmente usados por pessoas com problemas ortopédicos ou respiratórios

3. O seu orçamento

O seu orçamento vai condicionar, se não mesmo determinar, a escolha do seu colchão. Como escolher o melhor colchão tendo em conta o dinheiro que pretende gastar? A nossa sugestão é que, antes de fazer pesquisa em lojas físicas, procure colchões online. Vai encontrar uma vasta gama de produtos a preços mais convidativos. Tenha atenção ao seguinte:

  • Preço alto nem sempre é equiparável a alta qualidade;
  • Por menos de 700 a 1.000 euros poderá ser difícil ter um colchão realmente bom;
  • Se este valor lhe parece alto, considere que: se o colchão durar 10 anos, o preço por noite desse produto é de menos de trinta cêntimos.

4. A firmeza desejada para o seu novo colchão

Independentemente de preferir uma superfície “mole”, “média” ou “firme”, o mais importante é verificar se o colchão oferece um suporte adequado, ou seja, se permite manter a cervical e a lombar numa posição correta e ergonómica durante a noite.

5. A posição em que costuma dormir

Todas as pessoas têm padrões de sono diferentes, o que significa que dormem em posições diferentes. A maioria de nós elege uma posição predominante ou preferida: de lado, de barriga ou de costas; mas muitas pessoas passam por várias posições ao longo da noite.

Se quer saber como escolher o melhor colchão, deve atender às posições em que é habitual dormir:

  • De lado – quem dorme de lado geralmente muda de posição várias vezes durante a noite, pelo que o mais indicado é escolher um colchão menos firme. Se escolher um colchão demasiado firme, vai sentir pontos de pressão (e dor) na anca, nas costas e nos ombros.
  • De costas – quem dorme de costas para baixo deve procurar um colchão firme e que ofereça excelente suporte à cervical e à lombar.
  • De barriga – quem dorme de barriga para baixo deve escolher os colchões mais firmes. Imagine o que seria se a zona de maior pressão no colchão ao dormir – o tronco – ficasse rebaixada em relação aos membros e ao pescoço – um verdadeiro desastre, não é? Então já sabe: se gosta de dormir nesta posição, opte por um grau de firmeza elevado.

6. O seu peso corporal

O suporte oferecido pelo colchão está diretamente relacionado com o seu peso corporal. Quanto mais pesado for, de mais suporte e firmeza necessita. Se for mais leve, pode optar por colchões mais “moles” e que se moldem mais ao seu corpo.

Conclusão

Como pode ver, saber como escolher o melhor colchão é mais complexo do que habitualmente se pensa. Vale a pena investir algum tempo e tomar uma decisão que contemple os seis critérios que enumerámos, em nome do seu conforto… e da sua saúde!

Leia também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.